TERRA

“TERRA” – Fundação Cultural de Curitiba

“Uma exposição individual de Desenhos recentes de Sônia Gutierrez será inaugurada às 21 hs. de hoje 3.9.1981, na sede da FCC.

A artista serve-se do grafismo como veículo principal de expressão. O traço livre, solto, forte e contínuo ocupa o espaço com desenvoltura; tanto tecendo poemas de amor como criticando a amarga solidão e as injustiças sociais. O tema gira em torno de dois grandes eixos: a mulher e a terra, ambas identificando-se como geradoras de vida; dai a revolta que sente diante das agressões à natureza, do problema indígena, da exploração do homem pelo homem.

Muitas vezes propõe ao espectador uma leitura simples, servindo-se de um código visual baseado essencialmente na linha; outras vezes associa o grafismo a diversas texturas, que vão de impressões e colagens, principalmente de envelopes. Estes ganham na sua obra um valor não só plástico como simbólico, sintetizando no indivíduo que tenta romper o silêncio do outro – através do ato silencioso da mensagem depositada no fechamento de um simples invólucro de papel – toda a angústia existencial da comunicação e da liberdade do vôo dos pássaros ou do ponto chave para a reivindicação de questões sociais: ecologia, crescimento demográfico, feminismo, também na representação do homem solidamente construído delimitado apenas através do contorno – evidencia-se a necessidade da denúncia. O princípio que se impõe é a dramática condição do ser humano no 3º mundo. A sua luta, a sua razão de ser, é o direito à liberdade; daí construir todo um “ritual à liberdade”. É verdade que Sônia Gutierrez é uma artista jovem que está à procura de um caminho e que sua obra deve passar por todo um processo de síntese, integração e clareza; mas é também verdade que ela possui as qualidades necessárias para um crescimento cada vez maior.

Adalice Araújo
Crítica de Arte

Compartilhe:
Scroll to top