O ESTADO DA ARTE

​”Estado da Arte”
Breves reflexões s0bre o “contemporâneo
Quais as raízes e os eventuais desdobramentos e especificidades do que ainda se considera “contemporâneo” no campo das artes visuais? Como fixar balizas históricas de um processo que não apenas nos envolve, em sua proximidade epidérmica, como inclusive nos projeta, pela força de sua diversidade para um futuro incerto e fugidio? E sobretudo: como compreender suas principais linhas de força, para além das grandes certezas modernas, sem considerar as inevitáveis interações entre o global e o local, entre o centro e a periferia, entre os contatos e refrações, enfim, de uma ideia de “cultura” que se quer – pretensa e simultaneamente – internacional, nacional e regional?
Partindo dessas questões, e salientando sobretudo as relações entre arte, contexto e contemporaneidade, a exposição Estado da arte propõe uma leitura possível sobre a produção artística realizada durante as últimas décadas no Estado do Paraná.(…)”
Maria José Justino e Artur Freitas – curadores

Compartilhe:
Scroll to top